Livro: Direito Fundamental à Moradia

102722

A análise das restrições e os limites à aplicação do direito à moradia, em face da Constituição vigente, assumem importância, uma vez que é justamente na sua limitação constitucional que se estabelecem o conteúdo e o alcance dos direitos humanos e compreende-se o sentido objetivo de sua efetividade na ordem social.

Mais detalhes

Cálculo do Frete e Prazo

Ao comprar este produto você irá somar 2 pontos de fidelidade. Seu carrinho totalizará 2 pontos que podem ser convertidos em um cupom de R$ 0,40.


R$ 29,90
Pague em até 6x de R$ 4,98 s/ juros!

Mais informações

Um dos fenômenos políticos mais significativos das últimas décadas do século XX foi a restauração e consolidação do constitucionalismo, como teoria e prática da organização de sociedades justas. Desde que, nos séculos XVII e XVIII, foi gestado e adotado, o constitucionalismo sofreu poderoso abalo a partir da Primeira Guerra Mundial. Mas, só após a Segunda Guerra Mundial que as Constituições começam a incorporar os direitos sociais e econômicos e a garantia dos direitos, submetendo a esse fim a organização política do Estado.

As constituições passam a proteger não apenas os direitos individuais liberais, mas também os direitos sociais, econômicos e culturais, tal como o constitucionalismo do entre-guerras já prenunciava e a Declaração Universal dos Direitos do Homem, de 1948, indicara. As Constituições, que antes se limitavam a traçar a estrutura básica do Estado e a garantir direitos individuais, passam a ocupar-se com múltiplos assuntos, assumindo funções dirigentes, arvorando-se no papel de principal diretriz da vida comunitária e valendo-se, com freqüência, de normas de conteúdo programático, que traçam fins e objetivos a serem perseguidos pelo Estado, sem, contudo, especificar, de modo suficientemente preciso, como os mesmos devem ser atingidos.

A expansão dos direitos sociais e a integração das várias lutas também sociais, emergentes no final da década de cinqüenta, início de sessenta, aceleram a transformação do Estado liberal em Estado-Providência. A partir da década de setenta do século passado, com a crise do petróleo, acentuada em razão da globalização econômica, inicia-se o processo de esfacelamento do Estado-Providência, na medida em que vai perdendo o domínio sobre as variáveis que influem na sua economia.

Informações Técnicas:

Título: Direito Fundamental à Moradia
ISBN: 9788589919579
Páginas: 280
Edição: 1
Tipo de capa: Brochura
Editora: Pillares
Ano: 2008
Assunto: Direito Civil
Idioma: Português
Código de Barras: 9788589919579

Opiniões dos Clientes

Escreva sua avaliação

Livro: Direito Fundamental à Moradia

Livro: Direito Fundamental à Moradia

A análise das restrições e os limites à aplicação do direito à moradia, em face da Constituição vigente, assumem importância, uma vez que é justamente na sua limitação constitucional que se estabelecem o conteúdo e o alcance dos direitos humanos e compreende-se o sentido objetivo de sua efetividade na ordem social.

Escreva sua avaliação

30 produtos relacionados, quem podem lhe interessar: